Angélica (Angelica archangelica)

Nomenclatura botânica oficial: Angelica archangelica L.
Nomenclatura popular: Angélica
Família: Apiaceae (Umbelíferas)
Parte da planta utilizada: folhas, os caules, fruto

Resumo: Para que serve a angélica, usos como planta medicinal, indicações, benefícios e contraindicações da angélica.

Descrição

A angélica é o nome comum dado à espécie Angelica archangelica, sendo uma das mais de 60 espécies do gênero Angelica e também uma das mais cultivadas para fins medicinais. Angélica também pode se referir à outra espécie do mesmo gênero, a Angelica sylvestris, que possui propriedades semelhantes, sendo um pouco menor e com aroma menos pronunciado. Esse texto aborda as características e propriedades da espécie Angelica archangelica.

A Angélica é uma planta herbácea nativa de países escandinavos, Rússia e de outras regiões da Europa. Seu habitat natural são locais de clima frio e solo úmido, principalmente em regiões montanhosas. Atualmente é cultivada em regiões da França, Alemanha, Bélgica, Holanda e Romênia, entre outros, principalmente para fins medicinais.

No primeiro ano a planta desenvolve apenas folhas, em torno de 30 a 70 cm, de formato serrilhado. A partir do segundo ano, pode atingir até 2 metros de altura, com flores de coloração verde claro surgindo entre os meses de maio e agosto. Seu caule apresenta coloração verde e ocasionalmente roxa.

Flores de Angélica, partes aéreas

Indicações, Usos e Benefícios da Angélica

A Angélica pertence à família Apiaceae que contém espécies altamente tóxicas como o Conium com aparência semelhante à Angélica. Portanto, é imprescindível a identificação correta da Angélica como espécie antes de consumi-la.

Diversas propriedades medicinais vêm sendo atribuídas à Angélica durante séculos. É mais comumente utilizado na forma de chá ou tintura para casos de problemas gastrointestinais, febre, gripe e infecções como a candidíase. Pode auxiliar em casos de anemia, desconforto abdominal, flatulência, perda de apetite, enxaqueca e depressão. Ajuda a melhorar a circulação e a controlar a pressão.

Pesquisas realizadas na Alemanha indicam que a Angélica pode ser eficaz no tratamento de resfriados, asma, gripe e bronquite. No Japão, pesquisadores estão utilizando a Angélica como possível tratamento da artrite.

As folhas, os caules e sua fruta são comestíveis embora o sabor seja amargo. Possui aroma pronunciado e o seu óleo essencial é de grande utilidade para a indústria cosmética. É bastante utilizado também na fabricação de bebidas. Também é utilizado na preparação de pratos como omeletes, peixes e geléias.

Plantas Medicinais:

Produtos Naturais: