Cimicífuga (Actaea racemosa)

Nomenclatura botânica oficial: Actaea racemosa L.
Nomenclatura popular: Cimicifuga, actéia, erva-de-são-cristóvão
Família: Ranunculaceae
Parte da planta utilizada: rizomas e raízes

Resumo: Para que serve a cimicífuga, usos como planta medicinal, indicações, benefícios e contraindicações da cimicífuga.

Descrição

A cimicífuga também é conhecida popularmente como erva-de-são-cristóvão. A cimicífuga foi originalmente classificada como pertencente ao gênero Actaea (actéia) e depois reclassificada sob o gênero Cimicifuga, sendo assim comumente chamada. Porém, mais recentemente, há pouco mais de 10 anos, foi novamente reclassificada no gênero Actaea, e atualmente também é chamada de actéia e o nome "cimicífuga" tende a cair em desuso.

A cimicífuga é uma planta herbácea, perene, nativa da América do Norte, onde cresce livremente nas sombras de florestas fechadas, principalmente no Canadá e Estados Unidos. Possui folhas largas e verdes próximo à sua base, e longos caules com inflorescência de cor branca no seu topo. As folhas apresentam bordas dentadas e atingem entre 25 a 60cm de altura enquanto o caule com as flores pode atingir mais de 2m.

Cimicifuga
Cimicífuga (Actaea racemosa) ou erva-de-são-cristóvão
© Wasowski, Sally and Andy

Indicações, Usos e Benefícios

Planta nativa da América do Norte, os indígenas nativos americanos já utilizavam a cimicífuga para o tratamento de diversos males como dor de garganta, malária e depressão.

A partir de 1950 a cimicífuga começou a ganhar popularidade na Europa sendo um remédio alternativo para amenizar os sintomas da menopausa e da tensão pré-menstrual. Desde então, foram realizadas pesquisas com a cimicífuga e os resultados indicaram que ela é eficaz e segura para as mulheres que sofrem com esses sintomas.

Atualmente, vários medicamentos fitoterápicos indicados para tratamento dos sintomas do climatério utilizam extratos de cimicífuga em sua composição. No Brasil também são encontrados vários medicamentos à base de cimicífuga como Menocimed(Cimed), Tensiane(Greenfarma), Clifemin(Herbarium) entre outros.

Cuidados e Contraindicações

Ainda não há estudos conclusivos sobre potenciais riscos e efeitos colaterais do uso de cimicífuga durante um período prolongado.

Há alguma preocupação que o seu uso prolongado possa estar relacionado com risco maior de desenvolvimento de câncer de útero e de danos ao fígado, mas ainda não há evidências conclusivas.

Há alguns casos documentados de efeitos colaterais menos sérios como dores de cabeça, náusea e vômitos.

Plantas Medicinais:

Produtos Naturais: